19 de outubro de 2009

Considerações Sobre o Cúmulo das Aberrações

Algumas pessoas podem até gostar de você
Mas consideram mais interessante,
Considerar o impalpável,
E te julgar, te xingar - pelas costas -
E te punir e em seguida sorrir
Para você, como se te adorasse.
Essa é a grande piada da vida:
Rir dos outros para anular
A pessoal ferida;
Dar proporções gigantes às falhas alheias
Para minimizar a falha individual.
Mas, a vida é traiçoeira,
E uma hora descobre-se que o defeito alheio
É a reprodução em larga escala do seu próprio defeito
De fabricação caseira.
Vai deixando na esteira, suas intenções falhas,
Quem não oferta amizade verdadeira
E nutre ciúme e inveja
Se dardeja sozinho e sozinho permanece
Sempre graduando no vizinho
A própria pequenez.

(Calliope, 19/10/2009)

2 comentários:

Grigório Rocha disse...

Essa poesia é um "soco no estômago". Sua acidez cirúrgica diz o que precisa ser dito, no melhor estilo "visceral" de Calliope.
Aqueles que cultivam os piores sentimentos colhem "literalmente" o que plantam.

Paulo Fernando disse...

Perfeito. Fala muito bem sobre o fenômeno da Projeção Freudiana (teoria elaborada por "Painho", ou seja, Freud). rsrs
Adorei!

 
BlogBlogs.Com.Br