27 de agosto de 2009

Despertar!

Faz arte com a parte
De mim que é de resto
Que é rosto (ou esboço)
De poço de sonhos
Fecha os olhos
Para despertar!
Acorda para os meus olhos
De criança com sono
Que só quer sonhar.
Faz arte com meu dia
De chuva, de lágrima,
Faz meu riso acordar.
Planta comigo uma semente
E vamos criar (juntos) uma árvore,
Um filho, um livro...
Eis uma duografia.
(Calliope, 27/08/2009)

4 comentários:

Alisson da Hora disse...

Wake up! felizes do que tem alguém pra acordá-los...ou não, afinal, o livro pode ser comido pelas traças, o filho pode se evadir, as árvores podem ser cortadas.

Felizes os otimistas!(?)

Kenia Cris disse...

O Alisson aqui em cima disse tudo o que precisava dizer! Se vc tem alguém pra te acordar, vive.

Beijo querida!

Filipe M. Vasconcelos disse...

Lindo poema.. Parabéns pela profundidade e qualidade poética..!! É charmoso o seu jeito de escrever, senhorita!!
Parabéns..!!

Grigório Rocha disse...

O desejo de partilhar é sempre delicioso, ainda mais quando inspira a arte. Seu poema é tão delicado que me lembra o cheiro da terra doce após uma chuva mansa de outono. Como se teu orvalho fizesse desabrochar as flores de um jardim, girassóis amarelos, lírios, orquídeas e flores do campo... inspiradora.

 
BlogBlogs.Com.Br