31 de julho de 2009

Análise

Não me venha com o seu receituário.
Estou farta desse diagnóstico impreciso
De loucura mansa e sanidade excessiva.

Quero outro ponto de vista!
Rejeito a opinião de quem assiste,
À beira do rio, a superfície calma
E espera que nada a abale.
Rejeito a opinião de quem observa
Através da fechadura e teme abrir a porta.

Quero do rio, as profundezas frementes
E a porta, convidativa, entreaberta...
O rio a clamar: Mergulhe!
A porta a implorar: Adentra!
(Calliope, 30/07/2009)

5 comentários:

Kenia Cris disse...

Belíssimo como sempre!

Também sou alguém que rejeita a opinião de quem não tem coragem para passar pelo fogo. E se olhar em volta, há muita gente que adora o falar mas se abstém do fazer, do prático.

Tenha um dia delicioso.
Beijo doce.

marcelo disse...

Adorei teu blog! Passarei a te provocar! Não ficarei apenas espiando. Aguarda que eu chego! Abraço!

Dri Viaro disse...

Oi, vim conhecer seu blog, e desejar um bom dia
bjsss

aguardo sua visita :)

Valdeck Almeida de Jesus disse...

Lindo poema... A mesmice não abala o mundo... o bom mesmo é gritar, espernear...
Valdeck Almeida de Jesus
www.galinhapulando.com

Coisas de Meninas disse...

muito lindo!é uma forma de libertar o espirito...adorei!

 
BlogBlogs.Com.Br