24 de junho de 2009

Caminhos

Escuridão:
Cortina dos olhos
Vendados,
Ou cegueira dos olhos,
Tragicamente, abertos.
Esquinas
De silêncio e calma.
Becos, corredores,
Labirintos
Intermináveis.
Sonhos intermitentes.
Não há sinais na escuridão.
Não há traços, riscos, fronteiras.
Linhas de horizontes ou massas verticais
De suor e dinheiro.
Volvo meus olhos para o céu:
Constelações e direções.
Não há começo, nem fim
Há apenas esboços
Do que podem ser
Caminhos.
(Calliope, 24/06/2009)

7 comentários:

Alisson da Hora disse...

Na escuridão há apenas a fechadura peluda de um olhar.

john disse...

é acho que a escuridão a qual vc se refere, é a escuridão da alma, a cegueira do espirito que nos faz penas vislumbrar, o que gostaríamos de ver, mas não temos força nem coragem para buscar.
muito bom
abraços

Val disse...

nova empreitada: http://deadshadows.wordpress.com/

Junior Vondrake disse...

Irei começar dizendo que está muito bom.
Mas não pense você que eu não li e estou aqui passando para dar elogios vazios. Realmente esse e os demais estão ótimos. Irei postar em cada um deles pq cada uma das pesias trazem algo diferente.

Só não tinha postado antes pq, não si pq, a página dava erro, nos seus blogs. Mas li cada coisa.
Problema solucionado, comentario postado.

^^

Kenia Cris disse...

Belo, belo, belo. Gosto muito de trabalhos poéticos fortes como o seu. Uma delícia ler sua poesia!!! Gostei sobretudo do seu perfil! Você vai me provocar muitas boas reflexões e certamente será inspiração para muitas das minhas linhas tortas. Obrigada por seguir o Poesia Torta. Que andemos de mãos dadas vez ou outra. Beijo carinhoso!

Grigório Rocha disse...

Difícil comentar Calliope. Cada vez mais. Suas palavras dão à vida uma intensidade imensurável. Sinto-me desconcertado.
Parabéns, isso é arte.
Sem dúvida, caminhos são feitos para serem trilhados. Vejo que com seu talento eles certamente te levarão a lugares que você nem imagina.

Anônimo disse...

"...Labirintos
Intermináveis.
Sonhos intermitentes.
Não há sinais na escuridão.
Não há traços, riscos, fronteiras...
Volvo meus olhos para o céu:
Constelações e direções.
Não há começo, nem fim
Há apenas esboços
Do que podem ser
Caminhos."

lindo... sensual...

em cada texto seu eu percebo com mais carinho que nossos caminhos 'subliminares' e 'interiores tem muito em comum...

mais uma vez vc me tocou profundamente.

tauat

 
BlogBlogs.Com.Br