20 de maio de 2009

É no Conforto que Reside o Conflito

Nunca sei para onde estou olhando...
Horizonte nu
Meus olhos o vestem:
Roupagem do imaginário!
A solidez: concreto e areia
Cortam o vento.
Lamentos e edificações!
Dispo o céu, lacrimoso,
- Camadas de nuvens molhadas -
Roupagem de sonhos.
Busco no seu rosto - vício -
Meu par de constelações mansas e delicadas.
(Calliope, 20/05/2009)

5 de maio de 2009

Let it Rain!

Chovem pedras e flores
Sobre homens e dores.
Cospem gotas de martírios
Sobre capitais e lírios.
Dardos de água
Afogando mágoa.
Por onde andará o meu desejo?
Escorrendo pela rua o vejo,
Ensopa os meus pés que sentem frio
E o meu olhar vazio
Anseia o brilho e a mansidão
Deste seu olhar de constelação.
(Calliope, 05/05/2009)

4 de maio de 2009

Proposta

(À um poeta bissexto)

Juntei os meus versos,
E fiz uma pena,
Para lhe presentear.
Proponho-lhe que conte
A minha história.
Poesia formal ou versos brancos?
Você me dirá!
(Calliope, 03/05/2009)
 
BlogBlogs.Com.Br