28 de junho de 2007

Eu quero jogar um jogo de você

Você nunca sabe o que quer.
É guiado pelos seus desejos,
Pelo mesmo impulso
Que cria todas as ilusões.
Não é o melhor pra mim,
Não é o que realmente quero.
Preciso usar você,
Machucar você e te fazer sofrer.
Te fazer rir e chorar
E sentir, o amaríssimo gosto,
Do amor que acreditas ser doce.
É mister que veja o feio, naquilo que é belo
E o triste, no rosto que lhe faz sorrir.
A insônia que necessita dormir
E a verdade além da carne tátil,
Que um dia cessa de existir.
Eu quero jogar um jogo de você.
Quero que me ame e me odeie
Quero que me amaldiçoe e me venere.
Saiba que você nunca vai me possuir,
Enquanto eu jogar um jogo de você.

(Calliope, 15/09/2005)

2 comentários:

Rodrigo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Leandro disse...

Simplesmente me vejo...

 
BlogBlogs.Com.Br