29 de maio de 2007

Delírio

Ela tem olhos castanhos,
E a pele branca como um lírio.
Ela se intitula Delírio,
Pois tem sonhos estranhos.

É linda e sublime como um lírio
Me encantei por seus olhos castanhos,
Não me importo com seus sonhos estranhos
Se eu puder, apenas, olhar para Delírio.

Pudera eu tocar, tacitamente,
O anelar pueril dos seus cabelos
E no castanho dos seus olhos, me perder eternamente.

Sentir da sua pele, o lirial olor,
Ver brilhar seus olhos cheios de apelos
E com minha alma pagar o seu amor.
(Calliope, 14/12/05)

Um comentário:

PEQUENAS IMPRESSÕES disse...

Adoro essa poesia de Calliope. Desperta aluns dos mais profundos e delicados sentimentos que tenho...

Saudações Poéticas!

 
BlogBlogs.Com.Br